História

Kyudo significa o “caminho do arco” – Kyu (arco) e Do (caminho) – e é uma forma tradicional de tiro com arco, com origem no Japão.

A origem do Kyudo é antiga, e está ligada tanto à prática da caça e da guerra, como a cerimónias de corte onde o arco era usado para fins rituais. As primeiras referências ao tiro com arco para além do estrito uso militar remontam ao século VII da nossa era.

Entre o século XII e o século XVI, o tiro com arco evoluiu tanto na forma e na técnica, tal como no fabrico do arco.

A chegada dos Portugueses ao Japão no séc. XVI introduziu o uso de armas de fogo no campo de batalha e removeu progressivamente o uso do arco para fins militares. O uso do arco foi no entanto mantido vivo por várias escolas para fins religiosos, recreativos, desportivos e marciais e o entendimento sobre a sua prática evoluindo e aperfeiçoando-se.

Após a segunda Guerra Mundial, as artes marciais foram proibidas no Japão até 1949. Com o fim da proibição, a Federação de Kyudo do Japão (ANKF – Zen Nihon Kyūdō Renmei) foi fundada para promover o Kyudo e padronizar as formas de tiro, permitindo a praticantes de várias tradições poderem atirar juntos de forma harmoniosa. Desde então a prática do Kyudo transcendeu as fronteiras do Japão, com praticantes no mundo inteiro, ligados através da  Federação Internacional de Kyudo (IKF).

Em Portugal a prática do Kyudo começou em 1992, com a presença do mestre Yokokoji em Sesimbra. Em 2001 foi criada a Associação Portuguesa de Kyudo – APK, existindo hoje núcleos de prática em Sesimbra e Lisboa.

Prática

“O Kyudo é uma arte fundamentalmente simples, consistindo apenas de oito movimentos. A sua prática requer somente que o corpo esteja direito, alinhado com o alvo, e se atire com presença de espírito, de forma pura e com significado.”
H. Onuma, Hanshi, 9º Dan

A prática do Kyudo assenta numa sequência de oito movimentos – o Hassetsu – estabelecida de acordo com a natureza e estrutura do corpo humano, permitindo facilidade e fluidez na abertura do arco.

De igual forma, os passos e posturas de aproximação à linha de tiro envolvem fazem-se através de acções básicas do corpo humano – andar, sentar, levantar, virar. Estes devem realizar-se com a postura correcta e seguindo o ritmo natural da respiração, permitindo a harmonização entre os diversos praticantes de acordo com os princípios da etiqueta.

Hassetsu: os oito movimentos do Kyudo

Ashibumi – Dozukuri – Yugamae – Uchiokoshi – Hikiwake – Kai – Hanare – Zanshin